Ex-cunhado de Cachoeira é preso suspeito de ameaçar procuradora

06/07/2012 15:19

A Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal de Goiás (MPF-GO), prendeu, na manhã desta sexta-feira (6), Adriano Aprígio de Souza, ex-cunhado do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A PF suspeita que ele seja o autor de um dos e-mails de intimidação enviados à procuradora da República Léa Batista, que atua na Operação Monte Carlo.

De acordo com a investigação da Polícia Federal, pelo menos um dos e-mails investigados foi enviado da própria residência do suspeito, em Anápolis, local de cumprimento de um dos mandados de busca e apreensão.  Segundo o delegado da PF Raul Alexandre Marques, a procuradora recebeu três mensagens com teor de intimidação e ameaça. Inicialmente, o MPF havia informado o envio de apenas duas mensagens.

A PF não informou qual delas teria sido enviada pelo suspeito. Durante entrevista coletiva nesta manhã,  o delegado Marques preferiu não revelar o teor da intimidação. "Foi um e-mail bem direto, com palavras baixo calão", resumiu.

O ex-cunhado é um dos indiciados na operação, por formação de quadrilha e ocultação de bens, direitos e valores. Segundo a investigação da PF, ele é o principal testa-de-ferro na organização de Cachoeira, tendo ofertado seu nome para ocultar o real patrimônio ilícito do contraventor.

O G1 tenta contato com a defesa de Adriano Aprígio de Souza.

Ameaça
Membro da equipe da Operação Monte Carlo, a procuradora Léa Batista teve a segurança reforçada após receber e-mails com intimidação e ameaça. A primeira mensagem, em tom ressentido, chegou ao correio eletrônico da procuradora no dia 13 de junho.

No texto, uma pessoa não identificada pergunta por que a procuradora "foi tão dura demais" com os envolvidos no esquema de Carlinhos Cachoeira. Afirma que por pouco ela não destruiu a família dele e acabou com seu trabalho lícito. Depois, diz: "Não sou burro, sei que serei identificado, mas vou provar que sou inocente, que sou trabalhador e vítima ao ser equiparado aos demais (maioria) dos denunciados".

No segundo e-mail, recebido por Léa Batista no dia 23 de junho, além de usar palavras de baixo calão, tentou intimidar a procuradora. "Ainda vamos te pegar. Cuidado, você e sua família correm perigo", escreveu o autor da mensagem.

O conteúdo do terceiro e-mail não foi divulgado.

Fonte: g1

Tópico: Ex-cunhado de Cachoeira é preso suspeito de ameaçar procuradora

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!