Reunião define futuro de feirantes do entorno

16/08/2012 09:19

Uma reunião prevista para a manhã de hoje, envolvendo feirantes que atuam no entorno do Mercado Central e representantes da Secretaria Executiva Regional do Centro (Sercefor), pode começar a definir o futuro dos trabalhadores do comércio ambulante que atuam naquela área do Centro de Fortaleza. Eles vão reivindicar que a Rua José Avelino seja liberada para a venda de seus produtos, inclusive com a presença na via daquele que ocupavam a Avenida Alberto Nepomuceno, no trecho entre a Igreja da Sé e a sede da Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz).

No encontro, previsto para ocorrer na sede da Sercefor, por volta das 10h, os feirantes serão representados por uma comissão formada por dez membros. Um deles é Robson da Silva Ramos. Segundo ele, o grupo defenderá, junto à Regional, o cadastramento dos ambulantes que atuam no entorno do Mercado Central, que receberiam um crachá de identificação e atuariam em barracas de tamanho padronizado. A proposta é que todos os ambulantes sejam alocados na Rua José Avelino, que se transformaria num corredor exclusivo para o comércio popular.

Fiscalização
Na manhã de ontem, feriado municipal, a Prefeitura de Fortaleza manteve o aparato formado por guardas municipais, fiscais e auxiliares da Sercefor e agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC) no entorno do Mercado Central para impedir que feirantes armassem as suas barracas na pista da Avenida Alberto Nepomuceno.
A fiscalização também manteve desocupado um trecho de cerca de 25 metros no início da Rua José Avelino, antes ocupado por camelôs e barracas.
Muitos feirantes compareceram à Avenida Alberto Nepomuceno. A maior concentração aconteceu no cruzamento da via com a Rua José Avelino. Mas, impedidos de comercializar seus produtos, principalmente confecções, os ambulantes apenas acompanharam a movimentação dos fiscais da Prefeitura. O clima entre eles era de revolta e apreensão. "Sem poder trabalhar, como vou sustentar minha família?", indagou uma feirante que preferiu se identificar apenas como Maria.

Desocupação
Um acordo firmado entre a Prefeitura de Fortaleza e o Ministério Público determina o impedimento de qualquer tipo de comércio de rua no entorno do Mercado Central. No prazo máximo de 45 dias, haverá a total desocupação da Rua José Avelino. Apenas feirantes cadastrados no município e que atuavam na área poderão ocupar espaços em outros pontos de comércio ambulante no Centro da Capital.
De acordo com os feirantes, são mais de três mil trabalhadores prejudicados com a decisão. Eles reforçam que o comércio ambulante no entorno do Mercado Central virou tradição.

Veja a sequência de fotos feita pelo HJ NOTÍCIAS, no último domingo no local:

Fonte: dn


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!