Alemão aparece alegre e diz que seu crime não justifica penitenciária tão rigorosa

Antônio Jussivan Alves do Santos. Cearense, natural de Boa Viagem, um dos mentores do maior furto da história brasileira, ocorrido em 2005, no Banco Central de Fortaleza. O Alemão, como é conhecido, está preso atualmente em presídio de segurança máxima na cidade de Porto Velho e lá passa por trabalho de recuperação para ser reinserido na sociedade.

Na reportagem de Rodrigo Alvarez, no Jornal Nacional desta quinta-feira (29), Alemão aparece aparentemente bem de saúde e participa de aulas de flauta. Alegre, Antônio Jussivan joga bola com os colegas de presídio.

Em rápida conversa com o repórter da Rede Globo, Alemão reclama da atual prisão e diz que não cometeu delitos o bastante para estar naquela situação.

"Latrocida, homicida, sequestrador. Eu não tenho um crime dessa natureza. É só um crime 155", disse ao repórter.

De acordo com a reportagem do Jornal Nacional, mesmo recebendo programa de reintegração à sociedade,  a vontade de Alemão é de sair para uma penitenciária menos rigorosa.

Pena

164 milhões de reais foram furtados do Banco Central, em Fortaleza, em agosto de 2005. Antônio Jussivan dos Santos, o ´Alemão´, recebeu pena de 49 anos de prisão.

Fonte: dn

Tópico: Alemão aparece alegre e diz que seu crime não justifica penitenciária tão rigorosa

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!