Bahia vence Flamengo e é vice-líder

Diante de sua apaixonada torcida na Fonte Nova, o Bahia mostrou mais uma vez seu crescimento sob o comando de Cristóvão Borges e venceu o Flamengo por 3 a 0, pela décima rodada do Brasileiro. Fernandão, Wallyson e Marquinhos Gabriel marcaram os gols do time da casa, que chegou à vice-liderança da competição com 19 pontos, um atrás do Coritiba. O Rubro-Negro de Mano Menezes, por sua vez, segue seu calvário na competição e retornou à zona de rebaixamento, na 17ª posição com apenas dez pontos.

A torcida do Bahia empurrou durante todo o jogo, fez a festa em 90 minutos e até gritou 'olé' nos momentos finais diante da troca de passes de seus jogadores. O público pagante foi de 26.033 pessoas, com renda de R$ 1.131.520,00.

Apesar da vitória incontestável do Bahia, a partida foi marcada por um erro grave do árbitro Heber Roberto Lopes no segundo gol marcado pelo tricolor baiano, no fim do primeiro tempo. Wallyson finalizou depois de rebote de Felipe, que foi atrapalhado por tentativa de cabeçada do zagueiro Rafael Donato, em impedimento. O auxiliar Rosnei Hoffmann Scherer chegou a levantar a bandeira, mas após consulta, Heber confirmou o gol. Os rubro-negros reclamaram muito e o goleiro levou cartão amarelo.

- O auxiliar disse que não levantou a bandeira. Disse na minha cara que não levantou a bandeira. Isso é brincadeira - disse o goleiro no intervalo.

Wallyson, que saiu para comemorar e chegou a se frustrar quando o árbitro foi conversar com o auxiliar, respirou aliviado.

- A alegria foi tão grande que nem olhei para o bandeirinha. Depois achei que ele fosse anular. Mas o importante é que o gol valeu - disse.

O Bahia folga no fim de semana, pois já disputou o jogo da 11ª rodada no dia 10 de julho, na vitória por 2 a 1 contra o São Paulo, que faz excursão pelo exterior. Já o Flamengo enfrenta o Atlético-MG em sua segunda casa, o estádio Mané Garrincha, no domingo, às 16h (de Brasília).

Bahia comemoração vitória Flamengo (Foto: Ricardo Cardoso / Agência Estado)
Jogadores do Bahia comemoram na vitória sobre o Flamengo (Foto: Ricardo Cardoso / Agência Estado)

Bahia melhor e gol irregular

O Bahia se estabeleceu melhor em campo desde o início. Bem arrumado por Cristóvão Borges, não deu espaços. O Flamengo até teve mais posse de bola no primeiro tempo (56% a 44%), mas foi improdutivo. Tocou muito para os lados e não teve qualidade em seus armadores para se aproximar com perigo de Marcelo Lomba. O Tricolor baiano, por sua vez, explorava bem o porte de Fernandão. Com 1,92m, ele levou ampla vantagem sobre a zaga rubro-negra, que tem apresentado falhas em jogadas pelo alto durante todo o Campeonato Brasileiro. Em duas oportunidades, o atacante levou a melhor e cabeceou com perigo, mas Felipe fez defesas acrobáticas em ambos os lances.

O atacante, no entanto, abriu o placar com os pés, em lance de oportunismo, aos 29 minutos. Hélder finalizou de muito longe, quase do grande círculo, e o goleiro Felipe bateu roupa depois do quique da bola, que ficou pronta para a finalização do atacante, agora com cinco gols no Brasileiro. Só no primeiro tempo o camisa 9 finalizou seis vezes ao gol, mais do que todo o time do Flamengo (quatro). Improdutivo, principalmente devido a atuações fracas de Carlos Eduardo e Paulinho, o rubro-negro via o Bahia com mais vontade. E o polêmico segundo gol, no último minuto do primeiro tempo, foi um duro golpe para o time de Mano.

Fla melhora um pouco, mas Bahia amplia

Diante da fraca atuação da dupla, Mano sacou Paulinho e Carlos Eduardo no intervalo e lançou Gabriel e Fernandinho. O time mostrou um pouco mais de movimentação, mas ainda muito pouco para esboçar uma reação em busca do empate. Ainda mais depois de desperdiçar chances claras como a que teve Marcelo Moreno. De frente para Marcelo Lomba, o boliviano chutou no canto, mas o goleiro desviou e a bola ainda foi na trave.

O Bahia seguia com menos posse de bola que o rival, mas nem por isso se sentia seriamente ameaçado. Com tranquilidade e bem distribuídos em campo, os comandados de Cristóvão conseguiram segurar o ímpeto inicial do Flamengo na etapa final e tiveram frieza para matar o jogo no contra-ataque. Depois de cruzamento de Raul, González cortou mal e Marquinhos Gabriel pegou de primeira para fechar o placar, aos 31. Foi a deixa para a festa aumentar ainda mais nas arquibancadas da Fonte Nova.

Fonte: g1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!