Brasil perde de virada para o Uruguai no Pan-Americano

Não importa se a partida é válida pela Copa América , final de Copa do Mundo ou Jogos Pan-Americanos . Brasil x Uruguai é sempre repleto de muita rivalidade, tensão e emoção. Nesta quinta-feira, no Estádio de Hamilton, cidade vizinha de Toronto , não foi diferente. A Seleção tupiniquim parecia que não teria dificuldades para bater os rivais sul-americanos e avançar à final da competição. No entanto, não conseguiu aproveitar a vantagem de ter um homem a mais desde o começo do jogo e sofreu uma virada histórica nos minutos finais do confronto, sendo, assim, eliminada por 2 a 1.

Agora, o Brasil espera o perdedor de México x Panamá para saber contra quem decidirá a medalha de bronze do Pan de Toronto, no próximo sábado, às 14h05 (de Brasília). Já o Uruguai luta pelo ouro no domingo, no mesmo horário, também no Estádio de Hamilton.

A última vez que Brasil e Uruguai se enfrentaram pelos Jogos Pan-Americanos havia sido em 1983. Na ocasião, a seleção celeste venceu por 1 a 0, com gol marcado por Migue Peirano, e ficou com a medalha deouro em Caracas, na Venezuela, fato inédito na competição.

Como de costume, Brasil e Uruguai fizeram uma partida tensa, digna de um clássico sul-americano. E não demorou muito para os ânimos explodirem. Em uma cobrança de bola parada, o zagueiro uruguaio Lemos acertou um soco no estômago de Bruno Paulista. Atento ao lance, o árbitro não pensou duas vezes e expulsou o atleta de campo.

Lemos já é um velho conhecido dos brasileiros. Ele já havia arrumado confusão contra a Seleção no Mundial Sub-20, quando lesionou o atacante Judivan após uma entrada dura. Na ocasião, no entanto, ele só recebeu um cartão amarelo. A partida, válida pelas oitavas de final da competição, terminou empatada no tempo normal e na prorrogação por 0 a 0. A vitória tupiniquim só veio apenas após as cobranças de pênaltis.

Apesar de ter um jogador a mais desde os 10min, o Brasil não conseguia impor seu ritmo de jogo e sofria com contra-ataques perigosos na etapa inicial. Andrey, goleiro do Botafogo, teve que trabalhar ao menos três vezes para evitar o gol uruguaio, enquanto De Ameros, arqueiro rival, sequer sujou o uniforme.

 

Apesar de ver a dificuldade da Seleção no primeiro tempo, o técnico Rogério Micale voltou com a mesma equipe para a etapa final. A decisão, porém, não aguentou muito tempo e ele logo chamou o atacante Erik para o lugar do volante Barreto, que já estava pendurado com um cartão amarelo.

A jovem revelação do Goiás colocou fogo na partida e não demorou muito para nascer dos pés dele o lance que resultou no gol brasileiro. Aos 29min, Erik recebeu ótimo lançamento de Dodô dentro da área, driblou o goleiro, mas acabou derrubado pelo mesmo. Pênalti para o Brasil. Na cobrança, Clayton perdeu, mas, no rebote, estufou as redes para abrir o placar.

A classificação à final do Pan parecia garantida. Só parecia. Com 35min no relógio, Dodô acertou um pontapé no rival e também foi expulso. O lance foi o pontapé inicial para uma virada histórica dos uruguaios em Hamilton. Faltando apenas cinco minutos, Castro desviou cobrança de escanteio e Schettino, de primeira, empatou. O que já parecia inacreditável piorou para os comandados por Micale. Um minuto depois, quando o Brasil perdeu a bola na saída de jogo, Santos foi lançado com a defesa brasileira em linha, invadiu pela direita e tocou rasteiro na saída de Andrey, acabando com as esperanças brasileiras.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!