Cearense e italiano mortos no flat

Polícia já apreendeu dois adolescentes suspeitos do crime e procura mais três, entre eles, outro italiano

A Polícia cearense está à procura do italiano Massimiliano Tosoni, 28, mais conhecido por ´Max´; e de um adolescente que estão foragidos. Ambos são acusados de participação no duplo latrocínio que vitimou os comerciantes Hedley Lincoln dos Santos Farias, 25, e Andrea Macchelli, 48, de nacionalidade italiana. Dois outros suspeitos de participação no crime foram apreendidos, pois têm 14 e 15 anos.

Este veículo, um Corolla, havia sido roubado na última quinta-feira e foi utilizado na fuga dos criminosos. Durante a perseguição policial, os suspeitos causaram um acidente na Avenida Engenheiro Santana Júnior, no Papicu Fotos: JL Rosa

O crime foi praticado na tarde de anteontem, no Fortaleza Flat, localizado na Rua Doutor Atualpa Barbosa Lima, 600, Praia de Iracema. ´Max´ é inquilino de um dos apartamentos onde as vítimas foram assassinadas. Os três adolescentes foram vistos entrando no prédio às 15 horas de anteontem. Uma hora depois, as duas vítimas chegaram, transportando a importância de R$ 44 mil, que seria trocada por cerca de 20 mil euros. Às 16h20 os criminosos foram vistos saindo do flat no Corolla de placas NQZ-1095. O veículo foi tomado de assalto na manhã daquele mesmo dia, no bairro Aldeota.

 

Somente na madrugada de ontem, a Polícia localizou os corpos das vítimas em um dos apartamentos do flat. Conforme a Perícia, os dois homens foram golpeados no pescoço. As câmeras do prédio ajudaram na identificação dos assassinos

A descoberta

O policial civil aposentado Roberto Farias, pai de Hedley Farias, compareceu ao 2º DP (Aldeota) para registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o desaparecimento do filho, pois o mesmo tinha saído à tarde e transportava uma grande quantia. Como o filho estava demorando a aparecer e não dava notícia, ele achou que algo errado ocorrera e decidiu ir à delegacia.

Antes de sair de casa, Hedley Farias disse ao pai para onde ia, chegando a fornecer o endereço. Por volta de 23 horas, uma equipe do 2ºDP foi ao apartamento de ´Max´. Os policiais tocaram a campainha, mas ninguém respondeu. Foi tomada, então a decisão de arrombar a porta. As vítimas logo foram encontradas. Estavam amarradas com as mãos para trás e com o pescoço golpeado a facadas.

As imagens dos suspeitos no flat ajudaram a Polícia a descobrir as placas do carro usado na fuga. Na Avenida Engenheiro Santana Júnior, os quatro suspeitos foram avistados no carro por policiais militares, logo, e teve início uma perseguição.

Nas proximidades do cruzamento com a Avenida Antônio Sales, o condutor do veículo perdeu o controle e o carro foi de encontro a um poste.

Os acusados desceram e correram em direção à comunidade do Trilho, que fica entre as avenidas Engenheiro Santana Júnior e Via Expressa. Os dois adolescentes, de 14 e 15 anos, foram apreendidos, enquanto ´Max´ e o outro menor escaparam. A apreensão dos garotos foi efetuada por policiais militares lotados no Policiamento Ostensivo Geral (POG) do 8ºBPM.

Naquele momento, uma equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), comandada pelo delegado Leonardo Barreto, já estava no apartamento. "Depois que o crime teve a autoria conhecida, não vi mais a necessidade de a DHPP ficar com o caso", disse o diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Jairo Façanha Pequeno.

Delegado Jairo Pequeno, do Departamento de Polícia Especializada (DPE) , está no comando das investigações para a captura dos três homens acusados do crime

O delegado geral da Polícia Civil, Luiz Carlos Dantas, revelou que ´Max´ foi preso no dia 15 de junho de 2009, quando tentou furtar R$ 2,7 mil. Ele ligou para uma casa da câmbio dizendo que queria trocar euros por reais. Um motoboy da empresa foi ao hotel onde o italiano estava hospedado.

Naquela ocasião, ´Max´ pegou o dinheiro e entregou um envelope com papéis sem valor. O motoboy perseguiu o estrangeiro que foi detido na esquina das ruas Silva Jatahy e Visconde de Mauá. Ele foi autuado, segundo Dantas, por furto qualificado. A foto de ´Max´, apresentada ontem pela Polícia, havia sido publicada no Diário do Nordeste no dia 19 de junho de 2009.

PROTAGONISTA

Suspeito de assassinar o compatriota

Massimiliano Tosoni já é conhecido da Polícia cearense. No dia 18 de junho de 2009 ele foi preso em flagrante sob a acusação de furtar cerca de R$2,7 mil de uma casa de câmbio, depois de simular uma operação de troca de moedas. Na ocasião, ele se encontrava hospedado em um hotel, na Avenida Abolição, no Mucuripe, e ligou para a casa de câmbio solicitando o dinheiro em moeda nacional para trocar pelos euros que, supostamente, tinha em seu poder. Um motoboy foi deixar a quantia e acabou sendo enganado. Agora, a Polícia está novamente à procura do italiano por seu envolvimento no duplo assassinato no flat.

Fonte: dn

Tópico: Cearense e italiano mortos no flat

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!