Corinthians vence Vitória na Arena Patanal

O "Robin Hood" do Campeonato Brasileiro mostrou nesta quarta-feira que também pode ser malvado com os clubes que lutam na parte de baixo da classificação. E em um momento decisivo da competição. Depois de dar um tempo na crise com a vitória sobre o Internacional, o Corinthians bateu o Vitória por 2 a 1, na Arena Pantanal, em Cuiabá, pela 30ª rodada da competição, e ganhou força na briga por uma vaga na Taça Libertadores de 2015. Os baianos seguem o calvário da luta contra o rebaixamento.

O segundo triunfo consecutivo faz o Corinthians pular para a terceira colocação, com 52 pontos, embolando a disputa na parte de cima da tabela. O Vitória se complica ainda mais. Derrotado pelo Cruzeiro em casa na rodada passada, o Leão permanece com 31 pontos e precisa torcer por tropeços de adversários diretos para não voltar ao grupo dos quatro piores do Brasileirão.

Para manter o embalo, o Corinthians tem agora o arquirrival Palmeiras pela frente, sábado, às 16h20, no Pacaembu. No mesmo dia, o Vitória tentará reabilitação diante do Criciúma, às 18h30, no Barradão.

Timão pressiona; Vitória espera

O Corinthians ignorou os desfalques, a chuva e o pouco público na Arena Pantanal para dominar boa parte do primeiro tempo. Acusado pela torcida de exagerar na retranca, o técnico Mano Menezes colocou o Timão para atacar e tentar encurralar o rival. Renato Augusto teve espaço de sobra pelo lado direito e conduziu a equipe para a pressão. Tanto que, logo no primeiro minuto, cruzou na medida para Romero desperdiçar uma oportunidade clara.

O Vitória também colaborou para que isso acontecesse. Se Mano atacou, Ney Franco esperou demais uma chance nos contra-ataques. Mansur e Marcinho foram os únicos a aparecer, mas sem muito perigo. Era o que o Corinthians precisava. Depois de chute de Renato Augusto em Kadu, aos 18, a bola sobrou na esquerda para Fábio Santos disparar uma bomba indefensável para Wilson. Perto do fim, Jadson bateu por cima e perdeu a chance de ampliar.

O Vitória corrigiu parcialmente seus problemas no segundo tempo, mas esteve longe de assustar. Enquanto a defesa diminuiu os espaços e impediu que o Corinthians chegasse com tanta facilidade, o ataque continuou improdutivo. Walter trabalhou pouco. Nem mesmo as entradas de Edno no lugar de Marcinho e Juan na vaga de Mansur mudaram o rendimento da equipe.

O Corinthians não conseguiu ser tão incisivo quanto na etapa inicial, mas teve chances. Anderson Martins acertou o travessão, e Renato Augusto, no susto, errou no rebote. A equipe paulista cresceu de vez quando o Vitória se abriu definitivamente. O segundo gol saiu aos 35 com jogadores que entraram no segundo tempo. Malcom iniciou a jogada que ainda passou por Fábio Santos e Renato Augusto. Luciano marcou.

Sofrendo em demasia para criar, o Vitória reagiu aos 38, quando já parecia aceitar a derrota. Edno, aquele mesmo de uma passagem extremamente apagada pelo Corinthians, cobrou falta com perfeição por cima da barreira. Foi também o último suspiro dos baianos. A pressão nos últimos minutos não aconteceu. O Timão se fechou, segurou a bola e a vitória. Afinal, não é sempre que o Robin Hood pode ser tão amável.

Fonte: g1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!