Flamengo reage e vence o Criciúma na jaula do Tigre

Flamengo reage e vence o Criciúma na jaula do Tigre

Três pontos acompanhados de um pouco de paz. A primeira vitória do Flamengo no Campeonato Brasileiro nasceu no momento mais necessário, antes da parada de um mês na competição - em função da Copa das Confederações. Ao bater o Criciúma por 3 a 0 neste sábado, no estádio Heriberto Hülse, o time rubro-negro ganhou calma para buscar um novo treinador e preparar um time mais confiável. Foi a primeira derrota do Tigre em casa, na jaula onde costuma vitimar os oponentes, neste campeonato. O Flamengo jamais havia vencido lá no Brasileirão.

Hernane e Gabriel fizeram os gols dos cariocas. O meia marcou duas vezes, uma delas de escanteio. O Criciúma foi atrapalhado pela expulsão precoce, e infantil, do atacante Fabinho, ainda no começo do primeiro tempo. Depois, não teve forças para reagir. O Rubro-Negro, que após a demissão de Jorginho foi comandado pelo interino Jaime de Almeida, fez sua partida mais sólida no campeonato.

- Foi difícil, mas a equipe soube trabalhar bem com o fator do um a mais, que hoje no futebol é importante, e fizemos os gols. A partir da expulsão, soubemos controlar a posse se bola, rodar de um lado para o outro. Estamos com o espírito de Flamengo de novo - avaliou o volante Elias.

Comemoração Flamengo contra o Criciúma  (Foto: Fernando Ribeiro / Agência Estado)
Jogadores do Flamengo festejam vitória sobre o Criciúma (Foto: Fernando Ribeiro / Agência Estado)

Com a vitória, o Flamengo subiu a cinco pontos e, ao menos momentaneamente, está fora da zona de rebaixamento do Brasileirão. O Criciúma tem seis. As duas equipes voltarão a jogar pelo campeonato apenas no dia 6 de julho. Os cariocas receberão o Coritiba, e os catarinenses visitarão o Atlético-MG.

- Acho que o torcedor reconhece o esforço do time. É um jogo atípico. Vamos dar continuidade e buscar o pontos perdidos após o descanso - comentou o meia Daniel Carvalho, do Tigre.

Expulsão muda o jogo

As duas equipes ainda tentavam decifrar as oportunidades que o jogo oferecia lá pelos 15 minutos do primeiro tempo, quando Elias, do Flamengo, e Fabinho, do Criciúma, ficaram nariz com nariz dentro de campo. Até ali, era uma partida equilibrada, pendendo um pouco para o time da casa, que errava menos do que o rival. Mas tudo mudou. Na encarada entre os dois jogadores, Fabinho teve menos cabeça. Foi mais acintoso. Elias, experiente, desabou no chão, como se tivesse levado um tiro. O atacante do Criciúma foi expulso. E o volante do Flamengo sequer recebeu amarelo.

O lance mudou o jogo. O Flamengo fechou o primeiro tempo com 59% de posse por causa da vantagem numérica. E teve a vitória parcial facilitada também por isso. Aos poucos, o time visitante foi se instalando no campo de defesa do Tigre. Passou a rondar a área adversária. E chegou ao gol aos 37 minutos. Elias acionou Hernane na área. O Brocador se livrou de Ewerton Páscoa e, caindo, desviou do goleiro Bruno. Na comemoração, o atacante abraçou o volante. Os dois haviam se desentendido depois da derrota para o Náutico, na rodada anterior.

Elias flamengo marlon criciúma brasileirão 2013 (Foto: Fernando Ribeiro / Futura Press)
Elias recebe combate no jogo contra o Criciúma (Foto: Fernando Ribeiro / Futura Press)

O setor ofensivo do Flamengo funcionou melhor do que nos últimos jogos. Gabriel e Carlos Eduardo se movimentaram bem. Léo Moura foi assíduo na frente. O segundo gol poderia ter nascido já nos minutos finais do primeiro tempo, mas Bruno evitou nos chutes de Paulinho e João Paulo. Giancarlo, pelo outro lado, também fez Felipe trabalhar em pancada cruzada.

Vitória e gol olímpico

Daniel Carvalho no lugar de Giancarlo foi a aposta de Vadão para tornar o Criciúma mais presente no campo ofensivo no segundo tempo. Em vão. Logo com sete minutos, o Flamengo estragou os planos catarinenses. Em boa trama coletiva, a bola chegou até Léo Moura, que mandou o cruzamento. Bruno soltou para dentro da área. Gabriel, oportunista, mandou para o gol: 2 a 0.

O Criciúma tentou reagir. Mas era evidente: a missão beirava o impossível. E até sorte faltou. Com 16 minutos, Daniel Carvalho chegou um centímetro de chuteira atrasado. Quase fez o gol. Foi a chance mais viva do Tigre, bem domado pelo Flamengo.

E o time carioca ainda encontrou mais um gol, novamente com Gabriel. Ele bateu escanteio por baixo, com muito efeito. A bola fez uma curva impressionante. E enganou Bruno. O goleiro cortou no momento em que a bola cruzava a linha - difícil saber se toda ela entrou. A arbitragem titubeou, mas acabou dando o gol. Foi o golpe final sobre o Tigre.

Fonte: g1