Fluminense com dois expulsos perde para o Vasco na abertura do Maracanã para os clubes

A reabertura do Maracanã aos clubes teve show de um velho conhecido do estádio. Na reestreia pelo Vasco, Juninho Pernambucano voltou a ser protagonista num dos palcos em que mais marcou sua carreira no clube. Na noite deste domingo, novo brilho: com gol, assistência e aplausos para o camisa 8, o Cruz-Maltino fez 3 a 1 sobre um Fluminense com menos dois - Fred e Digão foram expulsos - e se distanciou da zona de rebaixamento. O time agora é o 11º colocado, com dez pontos, e deixou o Tricolor para trás, com nove.

Diante de um público de 34.634 pagantes (46.860 presentes), e renda de R$ 1.554.510,00, o Vasco reencontrou o caminho das vitórias após três jogos.

- O Vasco fez uma boa partida. Em outros jogos cometemos erros que nos levaram à derrota. Mas não podemos relaxar, temos que trabalhar ainda mais forte para seguir melhorando. Ainda estmaos lá embaixo da tabela. A volta de nomes importantes como Juninho é ótimo - observou Tenorio, autor do terceiro gol.

Já o Fluminense chega a sua terceira derrota seguida e se vê próximo da zona de rebaixamento. Com a volta de Deco, o time começou bem, mas a expulsão de Fred, logo aos 25 minutos do primeiro tempo, pesou para a atuação. E o técnico Abel Braga, que viu o Flu sofrer mais três gols no campeonato - já são 13 em oito jogos - lamentou com uma frase forte no intervalo.

- Está muito fácil fazer gol no Fluminense - observou.

Na próxima rodada, o Vasco recebe o Criciúma no sábado, às 18h30m (de Brasília), em São Januário. No dia seguinte, o Fluminense visita o Grêmio às 16h, na Arena do Grêmio.

Juninho revive reinado no Maraca, e Fred é expulso

Que diferença faz um meia de criação, cada vez mais raros no futebol brasileiro. Fluminense e Vasco tiveram o privilégio de ter um de cada lado no clássico. O tricolor, logo aos dois minutos de jogo, deu início a uma ótima oportunidade: com um passe na medida, achou Wagner na área. Ele cruzou, Carlinhos aproveitou bobeada de Jomar e rolou para Sobis chutar e ver Rafael Vaz salvar quase em cima da linha. Já o vascaíno também organizava os ataques, mas foi ainda mais decisivo. Em jogada de Wendel pela esquerda, e após falha de Edinho, Pedro Ken cruzou para a conclusão certeira do Reizinho. Gol no estádio onde foi palco de grandes momentos de seu reinado no Cruz-Maltino.

Rafael Vaz queria parar Fred para ficar famoso. Jomar, surpresa na escalação no lugar de um gripado Renato Silva, também quis, mas conseguiu de outra forma. Após deixar a mão numa dividida e acertar o olho do atacante, o camisa 9 do Flu caiu em campo, foi atendido e não gostou. Não demorou muito a revidar, mas com agressão: deixou o cotovelo no rosto do zagueiro. E o árbitro Marcelo de Lima Henrique, que já havia aplicado dois cartões amarelos em menos de 15 minutos, não teve dúvidas em mostrar o vermelho para Fred. A expulsão fez cair por terra o duelo dos camisas 10, já que o Fluminense precisou recuar, e Deco perdeu a função sem a posse de bola.

Apesar da vantagem numérica, o Vasco não agrediu. E o Flu assustava com Edinho. O volante apareceu duas vezes à frente sem marcação e quase empatou com duas pancadas de longe: a primeira caiu em cima do travessão, e a segunda raspou a trave de Diogo Silva. O Cruz-Maltino não aproveitava os contra-ataques e só conseguiu chegar com perigo no fim do primeiro tempo. Sandro Silva lançou André sozinho no ataque, ele bateu de fora da área, mas Cavalieri defendeu. Defesa que relembrou sua boa fase de 2012. Antes mesmo do fim do primeiro tempo, Abel indicou mudanças ao mandar seus atacantes do banco para o aquecimento.

André e Tenorio ampliam

O Flu voltou com Rhayner no lugar de Deco para tentar jogar na velocidade nos contra-ataques. Só que a marcação tricolor não conseguiu conter a primeira investida do Vasco, que ampliou o placar no primeiro minuto da etapa final. O gol foi de André, num toque por cobertura na saída de Cavalieri. A assistência? De Juninho. Quando o jogo parecia sob controle, Carlinho recolocou o Flu no páreo. Ele aproveitou escanteio cobrado por Sobis e a saída errada de um afobado Diogo Silva para diminuir a diferença de cabeça.

Dorival fechou mais o meio tirando o estreante Henrique para a entrada de Fillipe Soutto. Mas não conteve a empolgação do Tricolor, que esteve perto de empatar o jogo em duas bombas de Rafael Sobis. Edinho deu lugar a Marcos Junior, mas a esperança caiu por terra quando Digão, já com amarelo parou o contra-ataque vascaíno e também foi expulso. Com dois a menos, a tarefa de reagir ficou impossível.

Juninho, cansado, pediu para sair. Fabio Lima entrou. E Tenorio, que substituiu Eder Luis, matou o jogo no fim. De cabeça após escanteio, fez o terceiro.

Fonte: g1

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!