Na 1ª partida da final placar sem gols no Clássico-Rei

Com poucos torcedores no Castelão, Fortaleza e Ceará fizeram o primeiro jogo da final do Campeonato Cearense, na noite de ontem, e deixaram tudo em aberto para a grande final, na próxima quarta-feira. Empatados em 0 a 0, quem vencer o segundo embate ficará com o título do Estadual-2014.

Com melhor campanha durante o certame, o Ceará tem ligeira, mas fundamental, vantagem. Um novo empate no dia 23 de abril dará a taça ao Alvinegro. Nos últimos dois anos, em 2012 e 2013, o time de Porangabuçu fez valer o direito de dois resultados iguais na decisão para se sagrar campeão.

Não foi por acaso que a rede não balançou no Gigante da Boa Vista. Foram raras as oportunidades de gol no primeiro tempo, o que motivou a torcida a vaiar os protagonistas do Clássico-Rei, Nos 45 minutos finais, apesar da qualidade duvidosa do futebol apresentado pelas equipes, houve mais possibilidades e ainda um pênalti perdido por um dos atletas que mais sabem movimentar o placar: Magno Alves.

O jogo

Em campo, o Vovô começou mais arisco e buscou nos primeiros minutos surpreender o arquirrival, mas não teve êxito. A melhor chance na ‘blitz’ alvinegra surgiu aos 7 minutos, com Magno Alves. Dentro da área, o atacante recebeu a bola pela esquerda, limpou o lance e mandou um forte chute na trave.

No minuto seguinte, a resposta tricolor foi dada por Edinho. O jogador desviou perigosamente a bola e obrigou o goleiro Luís Carlos a fazer grande defesa. Os lances foram exceção nos primeiros 15 minutos de jogo, o que gerou vaias e queixas advindas das arquibancadas.

Aos 19, o Ceará voltou a aparecer com perigo. Em contra-ataque, Magno Alves dominou no peito e serviu Bill, que invadiu a área, driblou Max Oliveira, mas na hora de finalizar foi desarmado por Radar.

Mancando em campo, Waldison deu lugar a Danilo Rios aos 23 minutos, logo após a parada técnica. O atleta leonino saiu de campo chorando e foi consolado por seus companheiros no banco de reservas.

A partir de então, o jogo ficou truncado na meia-cancha. O Ceará continuava esboçando uma melhor formação ofensiva com Magnata e Bill, mas a pouca objetividade da dupla aliada a postura defensiva do Fortaleza acabou impedido que o Alvinegro tivesse novas oportunidades.

Vendo a etapa inicial se encerrar, Edinho ainda tentou marcar em um chute de fora da área, defendido em dois tempos por Luís Carlos, mas foi com o 0 a 0 que os times foram ao vestiário.



Tudo igual

O segundo tempo pareceu repetir a fórmula do primeiro. Apesar da boa movimentação, os ataques sempre encontravam os sistemas defensivos bem postados.

Aos 6, o Fortaleza respondeu as investidas do Ceará e tentou aproveitar a defesa rival desarmada para chegar ao primeiro gol. Edinho encontrou Luís Carlos ligeiramente adiantado e chutou de longe. O goleiro se esforçou para mandar a bola para a linha de fundo.

As melhores chances do time de Porangabuçu aconteceram apenas no fim do jogo. Aos 34, Bill arrancou em velocidade, ganhou do zagueiro e chutou na saída de Ricardo, que defendeu. Aos 36, o atacante recebeu novamente dentro da área e na hora do chute foi derrubado: pênalti. Na cobrança, Magno Alves isolou e o jogo terminou 0 a 0.

Técnicos com sentimentos distintos após o clássico

O empate sem gols deixou a decisão do Campeonato Cearense em aberto. Como nenhuma das duas equipes venceu, o panorama se manteve para a próxima quarta-feira, com o Ceará jogando por mais um empate para ser tetracampeão estadual, enquanto o Fortaleza, precisa vencer para sair com o título.

Os dois técnicos tiveram sentimentos diferentes em relação ao resultado. Muito por conta do pênalti perdido pelo atacante do Ceará, Magno Alves.

O técnico do Vovô, Sérgio Soares comentou a igualdade de ontem. “O jogo foi equilibrado e tivemos a chance de sair na frente, mas perdemos um pênalti. Foi um jogo digno de uma final. Tivemos boas chances e o Fortaleza também. Temos uma pequena vantagem, e tudo fica para o segundo jogo”, analisou o comandante alvinegro, ainda na borda do campo.

Nova lesão

Já o técnico tricolor Marcelo Chamusca considerou justo o resultado de empate no Clássico-Rei. Entretanto, ele lamentou o fato de ter perdido o atacante Waldison para a partida da próxima quarta-feira. O lance da lesão aconteceu praticamente no começo do jogo, com o atleta leonino sentindo a coxa esquerda.

“Pela décima vez no campeonato tenho de fazer uma substituição por causa de contusão. Isso atrapalha o planejamento”, afirmou Chamusca, para em seguida completar que não ficou satisfeito com a atuação da equipe. “Acho que ficamos com uma produção abaixo do esperado. Nosso time já rendeu mais do produziu no clássico”.

Chamusca também lamentou a ausência do meia Marcelinho Paraíba, que cumpriu suspensão automática na partida desta quarta-feira

Fonte: dn


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!