Três são detidos em confronto com a polícia ao lado do estádio Castelão

Centenas participam do protesto desde 10 horas desta quarta-feira (19) nos arredores da Arena Castelão. Os manifestantes começaram a se concentrar no quilômetro 3, da BR-116, e protestar contra a corrupção e os gastos excessivos com a realização da Copa do Mundo.

O protesto furou barreiras policiais feitas e seguiram até bem perto do estádio. Uma viatura da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) foi incendiada.

Três pessoas foram detidas acusadas de “incitar agressão a policiais”, de acordo com a Polícia Civil do Ceará. De acordo com a inspetora do 16 º, um dos detidos tem 25 anos, outro 26 e o terceiro não portava documentos. Segundo o coronel da Polícia Militar que coordena a operação de contenção dos manifestantes, “uma minoria de 1%” realiza “badernas e quebra-quebra”. O comandante da Polícia Militar, afirmou que daria entrevista coletiva ainda nesta quarta-feira (19) sobre as manifestações.

Os policiais e manifestantes tiveram um novo confronto por volta das 17h ao lado do Castelão, onde jogam Brasil e México pela Copa das Confederações. Segundo o coronel da PM, este é pelo menos o quarto confronto entre manifestantes e policiais.

A polícia tenta conter o grupo, que está no bloqueio policial da Avenida Paulino Rocha, a alguns metros do estádio, usando bombas de efeito moral, gás e spray de pimenta. "Está parecendo uma praça de guerra, é muita bomba. Tivemos que pedir abrigo em uma casa e as pessoas estão preocupadas porque o helicóptero ciontinua sobrevoando e na casa tem duas crianças pequenas", diz Carmina Dias, que participa dos protestos.

“Quase todos estão aqui para protestar pacificamente, mas há uma minoria que insiste em fazer baderna”, disse Mendonça. Manifestantes e policiais militares entram em novo conflito na tarde desta quarta, na Avenida Paulino Rocha, bem próximo à Arena Castelão, onde jogam Brasil e México pela Copa das Confederações. Segundo o coronel da Polícia Militar Cláudio Mendonça, os confrontos foram iniciados por uma minoria dos manifestantes.

Os manifestantes gritam “Não à violência”, além de gritar palavras de ordem contra governadores e denúncias de corrupção. Duas das quatro vias que dão acesso ao Castelão estão bloqueadas, enquanto ocorre o jogo. Os torcedores tiveram que ir ao estádio pela Avenida Dedé Brasil e Juscelino Kubitschek, que seguem com acessos liberados.

Manifestantes e policiais militares entram em novo conflito na tarde desta quarta-feira (19), na Avenida Paulino Rocha, bem próximo à Arena Castelão (Foto: Andre Penner/AP)
Manifestantes e policiais militares entram em novo conflito na tarde desta quarta-feira (19), na Avenida Paulino Rocha, bem próximo à Arena Castelão (Foto: Andre Penner/AP)

A polícia Rodoviária Federal estima que 25 mil pessoas participem dos protestos, divididas em duas frentes, nas avenidas Paulino Rocha e Alberto Craveiro. Na manhã desta quarta-feira houve protesto também na Avenida Paulino Rocha, quando parte dos manifestantes furou um dos quatro bloqueios da via.

Não há números oficiais de feridos, mas há relatos de pessoas que sofreram tiros de bala de borracha. Um jornalista cearense levou um tiro de borracha no olho, mas afirmou passar bem pelas redes sociais.

Fonte: g1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!