Ainda não sabemos votar!

19/10/2012 13:25

Sylvio Montenegro: Professor, Escritor e Gerente em Tecnologia da Informação

Ainda não sabemos votar! Esta é a conclusão que chego quando me deparo com o "leitorado" que conheço. É malhar em ferro frio dizer a um eleitor brasileiro, que, pelo amor de Deus! Vote nas ideias de um candidato e não em quem está em primeiro ou segundo nas pesquisas. Mas isso é inerente a um povo apolítico e aculturado. A quantos questionei que diziam na lata: "- Gosto desse candidato, mas não vou jogar meu voto fora pois ele não tem chance de ganhar." E assim caminha o pobre povo brasileiro que ainda vão muitas gerações para se educar, politizar e votar certo. Um povo que se preocupa mais com quem matou o Max do que com quem está passando mais a mão no dinheiro público? Do que como vou almoçar amanhã? Qual o hospital público que tem médico de plantão hoje? Será que meu ônibus amanhã passa mais vago? Será que passarei por aquela rua sem ser assaltado? Qual será a escola do meu filho no ano que vêm? Estarei empregado ainda por quanto tempo? Quanto de imposto estou pagando?... Entre outras perguntas que dizem respeito muito de perto ao povo brasileiro. Um povo que se preocupa mais com os carros, iates e salário do Neymar do que com sua casa e sua esposa, não se pode esperar outra coisa do que isto mesmo: Votar em pesquisa! Somos também reféns constantes  a cada eleição das armações desde a implantação desta famigerada urna eletrônica em 1996, que em seus caminhos entre chips e circuitos podem engendrar as mais diversificadas falcatruas ao gosto dos programadores e analistas. E foi justamente em 1996 que publiquei um artigo que provava, usando uma linguagem de programação rudimentar (Basic) com o um código de 12 linhas, como poderia mudar o resultado a favor de determinado candidato. Ora, se a urna eletrônica é assim tão confiável, porque os países de primeiro mundo as rechaçam até hoje? Precisamos abrir o olho e questionar mais e mais a esse respeito! O resultado sai mais rápido! É publico e notório, mas será que o resultado é real? Como conferir em quem votei? Como saber se o meu voto foi realmente para aquele candidato? Como se pedir uma recontagem de votos? Analisemos, é a sopa no mel: Pesquisa questionável dando fulano como primeiro e beltrano como segundo aliada a uma eleição eletrônica que até me provem o contrário, ainda não é cem por cento confiável... dá no que dá... Tiriricas, Malufs, Sarneys, Collors, Zé do Peixe, Seu quem, João do Bode... e falar nisso a essa altura... já sabemos quem matou o Max... e nos Salve Jorge!!!

 

Sylvio Montenegro: Professor, Escritor e Gerente em Tecnologia da Informação


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!