Suspensa greve de motoristas de ônibus

19/06/2012 12:35

Foram oito tentativas de negociação, baseadas na natural pressão quando o assunto é reajuste salarial. Horas antes de a greve de motoristas e cobradores de ônibus da Capital ser deflagrada, uma nova proposta garantiu a suspensão do movimento, pelo menos temporariamente. Apenas no fim da tarde de hoje, Prefeitura, categoria e sindicato patronal decidirão sobre o futuro do funcionamento do transporte coletivo de Fortaleza e como a resolução do impasse impactará aos passageiros e empresários.

Uma reunião, ontem, entre representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará e uma mediadora da Superintendência Regional do Trabalho (SRT) resultou em novos reajustes. O Sindiônibus aumentou sua proposta de reajuste salarial de 4,88% para 8,5%, com acréscimo de R$ 1,00 para o vale-refeição e R$ 10,00 para a cesta básica.
De pronto, a diretoria do Sintro afirmou que os valores são interessantes e, portanto, suspenderam a deflagração da greve marcada para as zero hora de hoje. Entretanto, apenas após assembleia com a categoria, que ocorrerá em dois momentos (às 9h e às 15horas), será decidida a aceitação da nova proposta. Caso os trabalhadores não aceitem as porcentagens de aumento oferecidas, a paralisação será iniciada.

INTERVENÇÃO
Este ano, a intervenção da prefeita Luizianne Lins na negociação aconteceu antes de a greve acontecer, diferente dos anos anteriores. Durante uma hora e meia, a gestora esteve reunida com os presidentes do Sindiônibus, Dimas Barreira e da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Ademar Gondim. “Nosso objetivo é que ninguém em Fortaleza seja prejudicado pela greve”, ressaltou a prefeita. Luizianne afirmou que a discussão sobre a redução de impostos pagos pelo Sindiônibus ou o possível aumento da passagem de ônibus, só acontecerá hoje, em um novo encontro, marcado para as 17 horas.
Conforme o presidente da Etufor, hoje será apresentada a demanda do impacto que os reajustes fornecidos aos motoristas e cobradores trará à operação. “Vamos fazer uma simulação dos resultados, baseados na planilha de custos, para então discutirmos sobre possível aumento de passagem ou não”, declarou. Ademar Gondim explicou, ainda, que a Lei 12.587, sobre mobilidade urbana, divide a tarifa de ônibus em duas categorias: de remuneração, que é aquela paga às empresas; e a tarifa pública, que significa o preço pago pelo passageiro.

As reivindicações iniciais da categoria eram de reajuste salarial de 15%, aumento de R$ 60 para R$ 80 na cesta básica e que o vale-refeição aumente de R$ 7,00 para R$ 12,00. Outro pedido da categoria é o fim da dupla função de motorista e cobrador em micro-ônibus, proposta que não entrou nas definições de ontem.
REDUÇÃO DE IMPOSTO
No dia 6 de junho, a Prefeitura enviou mensagem à Câmara Municipal de Fortaleza, sobre a redução do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) incidente sobre serviços públicos de transporte coletivo regular operados, exclusivamente, por ônibus. A proposta é de que o Município fixe percentual de alíquota com margem percentual de O% a 5% no ISS. As alterações ocorrerão nos serviços de transporte coletivo regular intramunicipal, com 0,01% e nos serviços de transporte público alternativo intramunicipal, com 2%.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!