24 de Maio (DIA DA INFANTARIA)

O Dia da Infantaria é comemorado no dia 24 de maio.

Infantaria é a mais antiga arma do Exército e é formada por soldados que podem combater em todos os tipos de terreno e sob quaisquer condições meteorológicas, além de poderem utilizar vários meios de transporte para irem para o campo de batalha.

Origem do Dia da Infantaria Brasileira

O Dia da Infantaria é comemorado no dia 24 de maio pois é na data do aniversário do seu patrono, Antônio de Sampaio.

24 de maio – Dia da Infantaria

Infantaria! Uma história........muitos heróis!

Brigadeiro Antônio de Sampaio

Antônio de Sampaio nasceu em 24 de maio de 1810, na cidade de Tamboril, Estado do Ceará. Filho de Antônio Ferreira de Sampaio e Antônia Xavier de Araújo, foi criado e educado pelos pais no ambiente simples dos sertões.
Cedo revelou interesse pela carreira militar, galgando postos por merecimento graças a inúmeras demonstrações de bravura, tenacidade e inteligência. Foi alferes em 1839; tenente em 1839; capitão em 1843; major em 1852; tenente-coronel em 1855; coronel em 1861; e brigadeiro em 1865.
Sampaio teve atuação destacada na maioria das campanhas de manutenção da integridade territorial brasileira e das que revidaram as agressões externas na fase do Império: Icó (CE), 1832; Cabanagem (PA), 1836; Balaiada (MA), 1838; Guerra dos Farrapos (RS), 1844-45; Praieira (PE), 1849-50; Combate à Oribe (Uruguai), 1851; Combate à Monte Caseros (Argentina), 1852; Tomada do Paissandu (Uruguai), 1864; e Guerra da Tríplice Aliança (Paraguai), 1866. Foi condecorado por seis vezes, no período de 1852 a 1865, por Dom Pedro II, então imperador do Brasil.
Recebeu três ferimentos na data do seu aniversário, 24 de maio, na batalha de Tuiuti, em 1866. O primeiro, por granada, gangrenou-lhe a coxa direita; os outros dois foram nas costas. Faleceu a bordo do navio-hospital Eponina, em 6 de julho de 1866.
Homem puro e patriota, Sampaio destacava-se por ser capacitado e corajoso, inteiramente dedicado à vida militar. Exemplo de exponencial bravura, foi consagrado Patrono da Arma de Infantaria do Exército Brasileiro, pelo Decreto 51.429, de 13 de março de 1962.

Tenente Godofredo Cerqueira Leite

Godofredo Cerqueira Leite – Comandante do Pelotão de Petrechos da 3ª Companhia do 1º Batalhão do Regimento Sampaio, na Força Expedicionária Brasileira (FEB). Vinha há muito tempo em precárias condições de saúde, mas recusava-se a deixar o comando daquela fração.
Na véspera do ataque a Monte Castelo, em 20 de fevereiro de 1945, o Comandante da Unidade pensou em substituí-lo na opção, mas desistiu de fazê-lo, ante a posição firme de Tenente Godofredo, que decidira participar do ataque como simples soldado, caso fosse deslocado do comando do pelotão.
O bravo Oficial permaneceu à testa de seus homens durante todo o ataque e cumpriu sua missão. Após a conquista do objetivo, durante as atividades de reorganização, um obus inimigo explodiu em seu abrigo, vitimando-o.

Sargento Max Wolff Filho

Max Wolff Filho – Integrante da Companhia de Comando do 1º Batalhão do 11º Regimento de Infantaria da Força Expedicionária Brasileira (FEB). Era conhecido como “Rei dos Patrulheiros”, devido a extraordinária competência militar, liderança e coragem demonstradas em operações desta natureza, consideradas das mais perigosas no combate de Infantaria. Podia-se comprovar sua eficiência pelos vários elogios recebidos, duas citações de combate e a “Bronze Star”, condecorações norte-americanas
Em 12 de abril de 1945, Wolff fora transferido para a 3ª Companhia, onde, já no comando de um pelotão, aguardaria a promoção a 2º tenente. Nessa mesma data, Wolff foi morto em combate, quando comandava uma patrulha de reconhecimento, ao ser alvejado por uma matralhadora alemã "MG-34 – Lurdinha”, nas ações que precederam o ataque a Montese.

  • Patrono da Infantaria
     
Brigadeiro Antônio de Sampaio

 

  • Tenente Godofredo Cerqueira Leite
     
Fonte: ANVFEB

 

  • Patrulha Sargento Max Wolff Filho
     
Fonte: Livro "A Luta dos Pracinhas" Autor: Joel Silveira e Thassilo Mitke

 

  • Pantheon de Sampaio – Fortaleza
     
"Silêncio! Aqui dorme o bravo! Coberto de espessos véus! Ornam-lhe o corpo guerreiro. Louros, glórias e troféus! A sua alma era o seu gênio. Seu gênio existe nos ecos!" (João Ribeiro de Carvalho)

 

  • Medalha Sangue do Brasil
     
Com a finalidade de agraciar os Oficiais, Praças, Assemelhados e Civis, destacados para o teatro de operações, e que aí hajam sido feridos em conseqüência de ação objetiva do inimigo, o Exército Brasileiro criou a Medalha Sangue do Brasil. A inspiração foi buscada nos ferimentos recebidos por Sampaio.

Fonte: exército


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!