Botafogo vence portuguesa no Canindé e mantém liderança

O Botafogo voltou a comemorar uma vitória neste domingo, depois de três empates seguidos no Campeonato Brasileiro. Mesmo com grande dificuldade e em um dia de pouca inspiração, conseguiu fazer 3 a 1 na Portuguesa, no Canindé. Continua na liderança, agora com 29 pontos, um a mais do que o Cruzeiro. Os paulistas também mantiveram sua posição: 18º lugar, na zona de rebaixamento. O jogo teve 4.276 pagantes, com uma renda de R$ 119.992.

O confronto ficou marcado por uma intensa discussão entre Seedorf e Gilberto no primeiro tempo. O holandês deu uma bronca no lateral-direito, que não aceitou e respondeu com xingamentos depois de levar um tapa no braço. Após o intervalo, os dois foram os responsáveis pelos passes para os três gols da vitória, marcados por Bolívar, Rafael Marques e Elias. Luis Ricardo marcou para a Lusa.

- Fundamentais esses três pontos. Entramos no primeiro tempo muito abaixo do que vínhamos jogando. No intervalo conversamos, voltamos para o segundo tempo mais agressivos e conseguimos os três gols - avaliou o goleiro Jefferson.

A Portuguesa volta a campo na quinta-feira em sua estreia na Copa Sul-Americana, contra o Bahia, no Canindé. O Botafogo joga no mesmo dia, contra o Atlético-MG, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Pelo Campeonato Brasileiro, os times atuam no domingo, contra Atlético-MG e Atlético-PR, respectivamente, ambos fora de casa.

Rafael Marques gol Botafogo (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)
Rafael Marques solta a bomba e comemora o gol da virada (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)

Mudança tática na Portuguesa

Apesar de estar ainda mais forte, graças às voltas de Lodeiro, Gabriel e Jefferson, o Botafogo nem parecia o time líder do campeonato. Cometeu erros de passe e posicionamento, além de sofrer com a falta de criatividade. A escalação de Correa como lateral-direito, para Luis Ricardo se transformar em atacante, foi o que ajudou a Portuguesa a segurar o adversário e ser bem mais perigosa ofensivamente. A defesa do Bota demorou a entender isso.

Os alvinegros reclamaram de um pênalti de Valdomiro em Seedorf, aos 13 minutos. A tensão aumentou dez minutos depois, com a discussão entre o holandês e Gilberto. O clima ruim era o reflexo da atuação no campo. Mesmo com 15 desfalques, entre suspensos e machucados, a Lusa dominou as ações no primeiro tempo, principalmente, sob o comando de Moisés e Luis Ricardo, que teve a melhor chance, aos 44 minutos, obrigando Jefferson a grande defesa.

O Botafogo voltou para o segundo tempo sem o seu técnico. Oswaldo de Oliveira foi expulso ao entrar em campo no intervalo para reclamar da atuação do árbitro Alício Pena Júnior. Os jogadores já haviam feito o mesmo, com Jefferson sendo punido com o cartão amarelo.

General abre o placar

A configuração do jogo não mudou: a Lusa apostando em Luis Ricardo, e o Botafogo com dificuldade em realizar as jogadas. A primeira mudança efetiva aconteceu aos 19 minutos, quando Elias entrou no lugar de Lodeiro. Um minuto depois, os cariocas acharam o seu gol. Seedorf cobrou escanteio, Lauro não saiu, e Bolívar ganhou de Rogério no alto: 1 a 0. A Portuguesa não sentiu o golpe e teve duas chances, ambas com Jean Mota, que parou em Jefferson em ambas.

Na sequência, no entanto, o goleiro não conseguiu evitar o empate, em cabeçada de Luis Ricardo, completando a cobrança de escanteio de Correa. O Botafogo reagiu um minuto depois. O mesmo Gilberto cruzou da direita, Rafael Marques dominou e acertou um belo chute de direita para fazer 2 a 1. O jogo melhorou, e o Alvinegro evoluiu e chegou ao terceiro gol. Seedorf fez grande jogada, livrando-se de dois marcadores, e tocou para Elias, que enganou Correa e chutou cruzado para vencer Lauro e fazer 3 a 1, aos 32. Estava liquidada a fatura.

Fonte: g1

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!