Brasil goleia fraca Austrália em Brasília

O clima de manifestação em Brasília, o gol logo no começo do jogo e o bom futebol poderiam induzir o torcedor mais desavisado a achar que ainda estava na época da Copa das Confederações. Mas, no reencontro da Seleção com a capital federal, onde teve início a campanha que culminou no título da competição internacional em julho, as novidades da equipe de Luiz Felipe Scolari foram o verdadeiro destaque na vitória por 6 a 0 sobre a Austrália, neste sábado.

Sem Hulk, Daniel Alves, Fred e Oscar, lesionados, Felipão apostou em Maicon, Ramires, Bernard e Jô, e foi recompensado com boas atuações do quarteto. O atacante do Atlético-MG brilhou ao marcar os dois primeiros gols da Seleção, enquanto o agora meia do Shakhtar se destacou e saiu aplaudido. Ramires, de volta após ser cortado da Copa das Confederações, também foi bem e ainda deixou sua marca. Por fim, Alexandre Pato, outro de volta ao time, aproveitou a chance e balançou as redes. De normal, só Neymar, mais uma vez atuando em alto nível e marcando um gol. Luiz Gustavo completou o placar.

Fora de campo, também houve momentos familiares. O clima de manifestação, presente durante toda a Copa das Confederações, reapareceu, embora a barreira feita pelos policiais nos arredores do Mané Garrincha tenha conseguido evitar que os protestantes chegassem perto da arena. Dentro do estádio, porém, o clima não foi igual ao da vitória sobre o Japão em junho, muito por conta das arquibancadas, que não ficaram lotadas - ao todo, 40.996 pessoas estiveram presentes para acompanhar o jogo.

Bernard e Jô revivem tempos de Galo

Em outra coincidência com a Copa das Confederações, a Seleção não perdeu tempo e abriu o placar logo aos sete minutos. Antes disso, a Austrália sequer havia passado da defesa. A pressão brasileira era sufocante e, diante da passividade rival, até os zagueiros se aventuravam no ataque. Foi de um passe de David Luiz para Neymar que saiu o gol. O camisa 10 recebeu na esquerda, gingou para cima de Neill e cruzou para Bernard, que se esticou e chutou na trave. No rebote, Jô, oportunista, mandou para o fundo das redes: 1 a 0.

Fortes e disciplinados taticamente, os australianos tinham apenas um recurso para ameaçar o Brasil: os cruzamentos para a área, que foram facilmente anulados pela defesa. Não satisfeitos, os visitantes resolveram sair das características e começaram a sair para o ataque. Era tudo o que o Brasil queria.

Bernard e Jô comemoração gol Brasil Austrália (Foto: Jorge William / Ag. O Globo)
Jô abraça Bernard: dupla reviveu os bons momentos de Atlético-MG (Foto: Jorge William / Ag. O Globo)

Sem fazer força, a Seleção passou a encaixar diversos contragolpes. Primeiro, aos 22 minutos, Neymar recebeu passe de Bernard, passou por quatro marcadores dentro da área, mas chutou por cima.

Aos 33, não teve jeito, e entrosamento de Bernard e Jô voltou a aparecer. O agora meia do Shakhtar foi lançado pela direita por Maicon e cruzou rasteiro, na medida, para o centroavante completar para as redes. No minuto seguinte, novo contra-ataque: Ramires lançou Neymar, que invadiu a área e, de frente para o goleiro Schwarzer, tocou de bico no canto esquerdo para fazer 3 a 0.

Neymar comemoração Brasil contra Austrália (Foto: Jorge William / Ag. O Globo)
Respeita o moço: Neymar faz comemoração nova
em seu gol (Foto: Jorge William / Ag. O Globo)

Vira três, fecha seis

O Brasil voltou para o segundo tempo somente com a entrada de Maxwell no lugar de Marcelo, que se lesionou e, de acordo com as informações iniciais, deve ser cortado para o amistoso com Portugal. O que não mudou foi a partida, com a Seleção soberana diante de uma Austrália sem condições de oferecer resistência.

Com tanta tranquilidade, o Brasil não demorou para transformar a vitória em goleada. Tocando a bola sem ser incomodado, o time chegou ao quarto gol aos 12 minutos, com Ramires, que aproveitou cruzamento de Maxwell pela esquerda e cabeceou firme para o fundo das redes. Dois minutos depois, o volante do Chelsea ainda acertou a trave num chute de fora da área.

Com a vitória garantida, Felipão resolver mudar a equipe. Colocou Dante, Hernanes, Lucas e Pato nos lugares de David Luiz, Paulinho, Bernard e Jô. O nível não caiu, e os gols continuaram saindo.

Aos 26, Pato também aproveitou a fragilidade do adversário para balançar as redes. Neymar fez linda tabela com Hernanes, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para o atacante do Corinthians, que completou para o gol. Aos 38, veio o golpe final: Luiz Gustavo, de fora da área, acertou uma bomba e definiu o placar, mostrando que o Brasil, em casa, segue forte. Ainda bem que a próxima Copa do Mundo é aqui.

Pato comemoração gol Brasil Austrália (Foto: Reuters)
Pato e sua celebração tradicional: atacante deixou sua marca na goleada (Foto: Reuters)
Fonte: g1

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!