Contra 'LDU genérica', Tricolor joga mal, mas volta com empate de Loja

Vinte horas de viagem, cansaço, frio, chuva. Soma-se a esses obstáculos uma apresentação apática. E o São Paulo volta de Loja, no Equador, apenas com um empate por 1 a 1 com a LDU local, em partida realizada na noite desta quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. 

A aposta de Ney Franco no esquema 4-3-3, desta vez, mostrou-se equivocada. Perdido no meio-campo, o São Paulo pouco produziu. No jogo inteiro, foram só quatro chances de gol, numa análise bem generosa. Do outro lado, havia um time equatoriano que, embora pequeno (nunca foi campeão nacional), deu trabalho, embalado pela torcida.

O jogo de volta será disputado no dia 24 de outubro, no Morumbi. Quem vencer fica com a vaga. Se houver um empate sem gols, o São Paulo avança por ter marcado um gol na casa do adversário. Caso o placar se repita,o classificado será conhecido nos pênaltis. Uma igualdade por dois ou mais gols dará a vaga aos equatorianos. Quem seguir adiante vai encarar Universidad de Chile ou Emelec (do Equador) nas quartas de final.

O São Paulo agora encara um longo dia de viagem pela frente. A delegação deixará a cidade equatoriana na manhã desta quinta-feira e só desembarcará no aeroporto de Cumbica no início da manhã de sexta. O time terá pouco tempo para descansar, já que no domingo voltará a atuar pelo Campeonato Brasileiro, contra o Coritiba, no estádio Couto Pereira.

Pressão equatoriana e gol 'achado'

Uma LDU de Loja empolgada e sonhando aprontar novamente e um São Paulo sem organização e que não deu uma finalização certa ao gol adversário nos primeiros 45 minutos. É dessa maneira que pode ser definido o primeiro tempo. A torcida local lotou o estádio Reina Del Cisne, que tem capacidade para 15 mil pagantes, e empurrou a LDU o tempo todo. 

Ney Franco, como vem fazendo nas últimas partidas, repetiu o esquema 4-3-3, com Ademilson ocupando a vaga do machucado Luis Fabiano. Na defesa, Paulo Miranda, mais marcador e forte na bola aérea, principal jogada equatoriana, ficou com a vaga de Douglas. Desde o início do jogo, a opção tática se mostrou equivocada. O São Paulo não teve saída de bola pelo meio e sofreu com a falta de criação no setor. Por diversas vezes, os zagueiros Rafael Toloi e Rhodolfo se lançaram a tentar a ligação direta para o ataque. E é claro que isso não poderia dar certo.

Como o São Paulo não levava perigo, aos poucos a LDU perdeu o medo e começou a chegar. Aos 24, Feraud assustou em cobrança de falta. Seis minutos depois, o atacante brasileiro Fábio Renato recebeu nas costas de Cortez, mais uma vez muito mal na marcação, e bateu firme, no canto esquerdo de Ceni, que fez bela defesa.

No melhor momento do time da casa, porém, a equipe brasileira achou um gol e abriu o marcador. Osvaldo desceu pela esquerda, passou por Gomez e cruzou de pé direito. Bermudez tentou cortar de cabeça e a bola entrou no canto esquerdo de Alvarado, que nada pôde fazer. O gol, no entanto, foi dado ao atacante do Tricolor - seu sexto na temporada.

Parecia que o São Paulo ganharia tranquilidade para tentar deslanchar em campo. Ficou só na impressão. Aos 44, a LDU de Loja chegou ao empate. O juiz uruguaio Julio Bascuñan errou ao marcar falta de Denilson em Uchuari no meio-campo. Na cobrança, Larrea recebeu sozinho e, de pé direito, acertou o ângulo de Rogério Ceni. Um golaço e festa da torcida local. Na saída para o intervalo, o capitão são-paulino reclamou acintosamente com a arbitragem sobre a falta assinalada. Em vão.

Osvaldo, LDU de Loja x São Paulo (Foto: Agência EFE)
Osvaldo comemora seu gol, diante da LDU de Loja, no Equador (Foto: Agência EFE)

Jogo equilibrado por baixo na etapa complementar

No segundo tempo, o equilíbrio permaneceu. No Tricolor, após Paulo Miranda perder uma boa chance de cabeça, em cobrança de falta de Jadson, Ney Franco percebeu o equívoco na formação inicial e fez duas alterações aos 12 minutos. Ademilson e Denilson deixaram o campo para as entradas de Douglas e Wellington. O 4-3-3 deu lugar ao 3-5-2. A ideia era fazer o time ganhar força pelas alas, já que Cortez, até então, limitava-se a marcar.

A bola passou a ficar mais tempo no pé dos são-paulinos, embora faltasse qualidade para criar lances de perigo. Maicon e Jadson não apareciam no jogo. A LDU jogava fechadinha e tinha no meia Uchuari uma peça que mostrava qualidade no meio-campo. Aos 23, Ney Franco deu sua última cartada ao sacar Jadson e colocar Willian José. Com isso, Lucas foi recuado para a armação. No time da casa, o veterano atacante Franklin Salas entrou no lugar de Calderón.

Nada deu certo para o Tricolor. O time seguiu apático, sem poder de criação e jogando como se estivesse satisfeito com a igualdade. O máximo de perigo que conseguiu levar foi numa cabeçada de Willian José, bem defendida por Alvarado. Já os equatorianos assustaram em chute de Salas, bem defendido por Rogério Ceni.

O goleiro, aliás, reservou para o fim o lance de maior emoção do jogo - mas de forma involuntária. Ele foi ao ataque para bater uma falta perto da área, acertou a barreira e viu os equatorianos saírem em disparada no contragolpe. O meia Cordero, porém, já na intermediária tricolor e sem ninguém a sua frente, deu bobeira - não chutou e acabou sendo travado por Rafael Toloi.

Fonte: g1

Tópico: Contra 'LDU genérica', Tricolor joga mal, mas volta com empate de Loja

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!