Cruzeiro vence Inter no Vale e dispara na liderança

Em um jogo lá e cá, disputado em alta velocidade, o Cruzeiro fez valer o seu melhor momento e venceu o Inter por 2 a 1 no estádio do Vale, em Novo Hamburgo, pela 24ª rodada do Brasileirão. Com cinco minutos de jogo, Nilton já abria o placar para os mineiros e Otávio deixava tudo igual para os colorados. Mas Willian, na segunda etapa, marcou, decretou a vitória e deixou o time de Marcelo Oliveira cada vez mais líder.

O técnico Dunga surpreendeu antes da partida. Sem D'Alessandro, o principal jogador da equipe, deixou os medalhões Forlán e Leandro Damião no banco. Scocco, com uma lesão de última hora no tornozelo, também foi desfalque. O Cruzeiro também não contou com peças importantes, como Ricardo Goulart e Julio Baptista. Mas soube utilizar as suas fartas peças de reposição para fazer o resultado.

Com a vitória, o Cruzeiro foi aos 53 pontos, 11 à frente do Grêmio, segundo colocado. Já o Inter estacionou nos 34 pontos e acabou ultrapassado por Atlético-MG e Vitória e terminou a rodada na 7ª posição.

Início avassalador

Poucos jogos neste Brasileirão começaram com tanta intensidade quanto Inter e Cruzeiro. Em menos de 15 minutos foram dois gols e outras três chances claras de gol. Os donos da casa tentaram tomar a iniciativa nos primeiros minutos, mas receberam um choque logo aos quatro minutos. Após cobrança de falta da direita, Nilton se antecipou aos zagueiros e tocou de cabeça para abrir o placar.

A sina de levar gols no início dos jogos parecia mais uma vez ser decisiva para um resultado ruim. Mas desta vez o cenário mudou muito rapidamente. Um minuto depois do gol sofrido, Kleber foi lançado pela esquerda, cruzou para o meio da área e Otávio bateu. A bola ainda desviou levemente em Nilton e morreu no canto esquerdo do goleiro Fábio.

  •  

Willian gol Cruzeiro contra o Internacional (Foto: Edu Andrade / Ag. Estado)

Willian comemora o segundo gol do Cruzeiro (Foto: Edu Andrade / Ag. Estado)

Mas a eletricidade dos dois times não reduzia. Logo depois do gol de empate, Dagoberto apareceu livre na frente de Muriel, bateu, mas a zaga afastou e impediu o gol. O Inter respondeu aos 11 minutos. Alan Patrick, uma das novidades de Dunga, cruzou na área e Josimar, sem marcação, cabeceou fraco, nas mãos de Fábio. Dois minutos depois, Nilton tropeçou e Otávio roubou-lhe a bola, invadiu a área e cruzou para Jorge Henrique, que bateu por cima do gol.

Blitz colorada

Ufa! Só depois de tudo isso, o jogo acalmou. O Inter se estabilizou em campo e passou a propor as principais jogadas. O Cruzeiro, por sua vez, se defendia, mas era sempre perigoso em contragolpes. Mas a morosidade durou pouco...Depois dos 30 minutos, o Inter voltou a amassar o Cruzeiro. Josimar arrancou pelo meio, fez fila e soltou uma bomba que exigiu boa defesa de Fábio.

Após um giro veloz, Caio ficou de frente para o goleiro, mas bateu por cima. O mesmo Caio também protagonizou aos 36 minutos o único lance polêmico da primeira etapa. Ele tentou passar por Bruno Rodrigo, caiu e pediu pênalti. O árbitro Wilton Pereira Sampaio, no entanto, nada assinalou e ainda apresentou cartão amarelo para o atacante colorado.

Cruzeiro se impõe no segundo tempo

A segunda etapa começou com mudanças por parte dos dois treinadores. No Inter, Dunga sacou Kleber, um dos destaques da primeira etapa, e colocou Fabrício. Uma troca de laterais, quase seis por meia dúzia. Marcelo Oliveira também retirou o seu camisa seis, Egídio e lançou Mayke. Melhor para os mineiros.

O Inter começou a parte final do jogo pressionando o Cruzeiro, mas, aos poucos, os líderes do Brasileirão passaram a ter as melhores chances. Aos seis minutos, Borges recebeu pela esquerda, cruzou, a bola chegou até Dagoberto, que cruzou de novo com muito perigo. Era o prenúncio do segundo gol. E ele veio um minuto depois. Willian recebeu com liberdade pela esquerda, avançou e bateu colocado, no canto esquerdo de Muriel, que se esticou mas não evitou o gol.

Com o placar adverso, o Inter se lançou à frente. Não havia mais o que fazer. Aos 17 minutos, o técnico Dunga tirou Josimar e colocou em campo Leandro Damião, que ficou no banco pela primeira vez na temporada. E já aos 23, o centroavante criou uma boa chance. Foi lançado dentro da área, mas demorou para chutar e acabou travado pela zaga. Ele mesmo aproveitou a sobra e tentou a sua tradicional lambreta, mas Bruno Rodrigo neutralizou a jogada.

O Cruzeiro, por sua vez, sempre se mostrou perigoso. Em uma das chegadas ao ataque, o time mineiro quase ampliou. Mayke avançou pela direita e cruzou para a área. Juan tentou cortar, mas mandou contra o próprio gol, obrigando Muriel a fazer grande defesa.

Mesmo com o placar nas mãos, já nos acréscimos, Mayke recebeu completamente livre, mas bateu para fora. Foi o indicativo de que só uma equipe poderia vencer neste domingo, no Vale. É o líder, o Cruzeiro, o soberano do Brasileirão.

Fonte: g1

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!