Flamengo embalado vence a Chapecoense na Arena Condá

Mais três pontos! Na Arena Condá, o Rubro-Negro venceu e convenceu. Melhor, o Flamengo se impôs e bateu a Chapecoense por 3 a 1, com gols de Paulinho, Canteros e Kayke - Bruno Rangel diminuiu, de pênalti. Embalado, o time carioca não deu chances para a equipe da casa e saiu com a sexta vitória seguida no Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o time de Oswaldo de Oliveira se firmou de vez no G-4, com 41 pontos, no quarto lugar. Já a Chapecoense segue ladeira abaixo no Brasileirão, na 13ª posição, com 30, e o técnico Vinícius Eutrópio balança no cargo.

O jogo

A partida começou como de costume na Arena Condá: correria da Chapecoense e pressão na saída de bola. O Flamengo, embalado, não se intimidou. Bem postado em campo, o time rubro-negro entrou concentrado e teve a primeira chance do jogo: aos sete, Éverton tabelou com Kayke e encheu o pé, mandando à esquerda de Danilo.

Com a bola sempre ao ataque, o Flamengo não deixava o time de Chapecó respirar. A posse de bola e a agressividade dos rubro-negros fez a diferença. A Chapecoense não conseguia chegar à área do Flamengo.

Aos 11, César Martins deu uma de lateral direito e cruzou para Paulinho, que emendou um voleio de primeira, no ângulo, para abrir o placar. Um golaço em Santa Catarina. O gol animou o time de Oswaldo de Oliveira. Aos 14, Cirino roubou a bola e chutou estranho, mas quase encobriu Danilo, que se recuperou para fazer a defesa.

Aos 32, com enorme facilidade, César Martins mais uma vez foi ao ataque e levantou para Kayke, que escorou para Cirino. De primeira, o atacante rolou para trás e Canteros bateu forte para ampliar.

E a contagem poderia ter aumentado se Danilo não salvasse o time da casa, aos 42, quando Paulinho cabeceou e quase fez mais um. A primeira chance dos donos da casa só veio aos 45, quando Apodi recebeu nas costas de Jorge e bateu cruzado, forte, mas Samir evitou o gol.

 

 

Na volta para a segunda etapa, o pressionado Vinícius Eutrópio lançou Ananias, tentando apostar na velocidade contra a zaga rubro-negra. Aos seis, Apodi levantou e Tiago Luís obrigou Paulo Victor a sujar o uniforme, até então intacto.

Aos 12, Ananias bateu de fora, mas o goleiro rubro-negro segurou sem sustos. De novo pela direita, Apodi cruzou e Maylson, sozinho na área, cabeceou para fora.

Vencendo, o Fla tirou o pé do acelerador e a Chapecoense passou a gostar do jogo. Aos 32, a zaga cortou mal e Rafael Lima parou em Paulo Victor. Aos 35, bobeira de Marcio Araújo: o volante tropeçou e derrubou Ananias por trás. Na cobrança, Bruno Rangel bateu forte e diminuiu.

Aos 42, Maylson matou com estilo e tentou bicicleta, mas mandou para fora. Na sequência, o golpe de misericórdia: aos 43, Luiz Antônio achou Éderson, que tocou para Kayke na área. Calmo, o centroavante matou e tocou na saída de Danilo para dar números finais ao jogo na Arena Condá.

FICHA TÉCNICA:
CHAPECOENSE 1 X 3 FLAMENGO

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 13 de setembro de 2015, domingo
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e José Javel Silveira (RS)
Cartões Amarelos: Apodi e Dener (Chapecoense); Jorge (Flamengo)
Público: 10.800 pagantes
Renda: R$ 327.500,00
GOLS:
Chapecoense: Bruno Rangel (pênalti) aos 35 minutos do segundo tempo
Flamengo: Paulinho, aos 10, e Canteros aos 32 minutos do primeiro tempo; Kayke aos 43 minutos do segundo tempo

CHAPECOENSE: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Neto e Dener; Elicarlos (Maylson), Bruno Silva (Túlio de Melo), Cleber Santana, Camilo (Ananias) e Tiago Luís; Bruno Rangel
Técnico: Vinícius Eutrópio

FLAMENGO: Paulo Victor, Pará, César Martins, Samir e Jorge (Luiz Antonio); Márcio Araújo, Canteros e Everton; Paulinho (Ederson), Marcelo Cirino (Marcelo) e Kayke
Técnico: Oswaldo de Oliveira


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!