Leão volta a rugir no Castelão

Fortaleza conquista Cearense após cinco anos sem títulos e impede penta do rival Ceará em jogo marcado por emoção até o fim e batalha campal de torcedores no gramado do Castelão

As previsões se confirmaram e o Castelão viu uma final como há anos não ocorria. Com emoção até o fim, Fortaleza e Ceará empataram em 2 a 2 em uma decisão de Campeonato Cearense em que a taça mudou de mãos duas vezes e deixou os dois lados com nervos à flor da pele até o último instante. Daniel Sobralense abriu o placar para o Fortaleza na primeira etapa. Ricardinho e Assisinho viraram nos minutos finais e davam o título ao Alvinegro. Aos 47 do segundo tempo, os pés de Cassiano subverteram a lógica, fizeram o gol de empate e deram o título ao Fortaleza após cinco anos. 

De quebra, o Leão impede o maior rival de conquistar o pentacampeonato. Até o apito final, um espetáculo capaz de fazer quem não gosta de futebol pensar seriamente em mudar de ideia. No entanto, a batalha campal proporcionada por torcedores que invadiram o campo estragou a festa dos 90 minutos anteriores.A partida começou como já é de praxe em todo Clássico-Rei decisivo: truncada. Com a vantagem do empate, o Fortaleza começou surpreendendo, mostrando mais organização em campo. No entanto, o Ceará começou a dominar as ações na sequência, mas sem conseguir penetrar na bem postada defesa leonina. Apenas Marinho, com jogadas individuais, levava perigo ao gol de Deola.

Aos 30 minutos, em um abafado Castelão com 50 mil pessoas, começa a cair uma chuva fina, suficiente apenas para tirar a poeira do corpo. Mas a água aparecia, na verdade, para lavar a alma tricolor, que padecia após cinco anos de insucessos. A chuva apareceu no momento em que Daniel Sobralense recebeu na entrada da área, deu um banho (com a bola) em João Marcos e chutou no canto de Luís Carlos para abrir o placar e fazer explodir a torcida do Fortaleza.

Precisando de dois gols para sair com a taça, não restava outra opção ao Ceará que não fosse atacar como se não houvesse amanhã. Surpresa de última hora na escalação de Silas, William não oferecia perigo à defesa leonina. O segundo cartão amarelo tomado por Uillian Correia, e a consequente expulsão do volante aos 18 do 2º tempo, tornava ainda mais árdua a tarefa dos alvinegros.

Coube a Ricardinho, o “Senhor Decisão” na Copa do Nordeste, empatar o jogo aos 36 com um chute desviado de fora da área e encher novamente de esperanças os alvinegros, até mesmo os que já deixavam o estádio. O gol fez com que o Ceará pressionasse ainda mais e conseguisse a virada aos 45. Assisinho subiu de cabeça e fez todo o Castelão ter certeza de que o título seria alvinegro.

Porém, na jogada seguinte, a defesa do Ceará marcou bobeira e Cassiano, após cruzamento de Tinga em posição duvidosa, fez o gol de empate e deu à torcida tricolor o título estadual.

CEARÁ - 2
TÉCNICO: SILAS 

CEA: 4-3-3 

LUÍS CARLOS

SAMUEL XAVIER

CHARLES

GILVAN
 

FERNANDINHO(TIAGO CAMETÁ)

JOÃOMARCOS(ROBINHO)

UILLIAN CORREIA

RICARDINHO
 

MARINHO

MAGNO ALVES
 

WILLIAM (ASSISINHO)


 

FORTALEZA -2

TÉCNICO: MARCELO CHAMUSCA 
 

FOR: 4-5-1 

DEOLA

ADALBERTO
 

CORRÊA

WANDERSON
 

TINGA

LIMA
 

AUREMIR

ÉVERTON (VINÍCIUS HESS)
 

L.MARANHÃO(CASSIANO)

DANIEL SOBRALENSE

PIO (MARANHÃO)

 

Local: Arena Castelão, em Fortaleza

Data: 3/5/2015 , às 16 horas
 

Árbitro: Péricles Bassols (RJ)

Assistentes: Kleber Lúcio Gil (SC) e Márcia Caetano (SP) 
 

Cartões vermelhos: Uillian Correia (C) e Maranhão (F)

Cartões amarelos: U.Correia (C),Ricardinho (C), D.Sobralense(F), Charles (C), L.Maranhão (F), Pio (F), Deola(F)
 

Gols: Daniel Sobralense (31min/ºT), Ricardinho (36min/2ºT), Assisinho (44min/2ºT) e Cassiano (47min/2ºT)

Público/Renda: 50.002 pagantes/R$1.169.467, 00 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!