Líder Cruzeiro empata com Fluminense no Maracanã

Quando ocorre o encontro entre dois times que gostam de jogar futebol e se entregam em campo em busca da vitória, o resultado é um jogo cercado de alternativas e com gols em profusão. Assim, Fluminense, em busca de uma vaga entre os quatro primeiros colocados, e Cruzeiro, líder absoluto, com 43 pontos, empataram por 3 a 3, neste domingo, no Maracanã, em confronto digno de clubes que se prepararam para estar entre os melhores do Campeonato Brasileiro. O público pagante foi de 23.534 (27.194 presentes), para uma renda de R$ 617.185,00.

Para seguir sua caminhada na busca do tetracampeonato, o Cruzeiro, que segue sem vencer no novo Maracanã em seis jogos disputados, vai enfrentar o Bahia, quinta-feira, no Mineirão. Mesmo com o empate deste domingo, o time fechou o primeiro turno com a melhor campanha dos pontos corridos desde 2006, quando a competição passou a ter 20 clubes. Já o Fluminense, quinto colocado, joga contra o Figueirense, em Florianópolis.

O jogo

A previsão de um grande jogo entre times que entram em busca de uma vitória se confirmou rapidamente. O Fluminense recebeu o líder Cruzeiro disposto a mostrar que a vantagem aberta pelo clube mineiro na liderança da competição ainda é passível de redução. Para isso, manteve seus jogadores com características ofensivas.

Fred e Dede, Fluminense X Cruzeiro (Foto: Getty Images)Fred e Dedé disputam a bola, observados por Henrique, em duelo no Maracanã (Foto: Getty Images)

Líder do Brasileiro, o Cruzeiro foi para o jogo com uma série de desfalques importantes, como seus dois principais jogadores: Everton Ribeiro e Ricardo Goulart. Apesar das perdas, o técnico Marcelo Oliveira ainda conseguiu colocar em campo um time forte.

Apesar da capacidade ofensiva dos dois times, o jogo começou estudado e o primeiro gol saiu em um erro de Cícero. Por imprudência, arriscou uma voadora para cortar um lançamento dentro da área e acertou Samudio. Pênalti batido por Júlio Baptista para abrir o placar, aos 14 minutos.

Samudio entrou em campo graças a um pedido do Cruzeiro de liberação da seleção paraguaia, já que também não poderia contar com Egídio, machucado. Valeu a pena por alguns minutos, já que em seguida deixou o campo com um problema no joelho esquerdo para a entrada de Ceará.

No mesmo lance em que fez a substituição, Marcelo Oliveira viu seu time sofrer o empate, aos 17. Conca cobrou escanteio, Elivélton ganhou de Dedé e cabeceou na direção de Wagner, que completou para o gol, em condição legal graças ao posicionamento de Mayke ao lado da trave.

O jogo cresceu e o Fluminense aproveitou o momento de desestabilidade do adversário para virar o jogo. Conca recebeu a bola pelo lado esquerdo, aproveitou o espaço aberto depois de um choque entre Fred e Dedé e tocou para Cícero virar o jogo, aos 22.

Conca perde chance

O Cruzeiro começou a se complicar e graças a duas grandes defesas de Fábio na mesma jogada não sofreu o gol. Aos 41, Bruno deu bom passe para Fred chutar para Fábio defender. Na sequência, a bola bateu na trave e sobrou limpa para Conca chutar novamente e o goleiro do Cruzeiro reagir rapidamente e salvar mais uma vez.

Marlone e Wagner, Fluminense X Cruzeiro (Foto: Getty Images)Wagner controla a bola, seguido de perto por Marlone: empate em bom jogo (Foto: Getty Images)

O castigo ao Fluminense veio em seguida. Aos 44, depois de uma falta cobrada da direita, a bola sobrou para Júlio Baptista chutar fraco, mas suficientemente no canto para vencer Klever e empatar o confronto.

O início do segundo tempo abriu oportunidades para os dois lados. Em menos de 10 minutos, Fluminense Cruzeiro já poderiam ter feito o terceiro gol, com Fred e Willian, respectivamente. Os ataques passaram a levar vantagem sobre as defesas com mais facilidade, faltando capricho no último passe e nas finalizações.

E quem marcou primeiro foi o Cruzeiro. Em contra-ataque fulminante, Mayke paraceu livre na frente de Klever, que fez uma grande defesa, mas na sequência Marlone cruzou, Elivélton errou o corte de cabeça, e Marcelo Moreno acertou um belo voleio para fazer 3 a 2, aos 13 minutos do segundo tempo.

O Fluminense passou a se lançar ao ataque. No entanto, as chances foram escassas, com exceção da reclamação de um pênalti de Nilton em Wagner e uma finalização de Conca dentro da área que Fábio salvou. Por outro lado, o Cruzeiro representou intenso perigo nos contra-ataques. O jogo permaneceu até o fim com a expectativa de que poderia ter uma mudança de placar. E aconteceu. Kenedy, aos 43, empatou o jogo e fechou o placar em 3 a 3.

Fonte: g1


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!