Raikkonen volta a vencer na Fórmula Um

A promessa era de muita emoção para o GP de Abu Dhabi. Desclassificado do treino de sábado, o líder do campeonato Sebastian Vettel (RBR) largava dos boxes, enquanto seu rival na briga pelo título, Fernando Alonso (Ferrari), partia em sexto. E a corrida deste domingo fez jus à grande expectativa. Aconteceu de tudo no circuito de Yas Marina. Acidentes na largada, decolagem espetacular, duas entradas de safety car, abandono de líder e vitória inédita de Kimi Raikkonen e Lotus desde os retornos de piloto e escuderia à Fórmula 1. Mas as atenções estavam voltadas mesmo para o disputa do campeonato. Inspirado, Vettel fez uma linda corrida de recuperação e saiu de último para conseguir um improvável pódio, em terceiro. O vice-líder Alonso chegou em segundo e diminuiu a diferença para o alemão da RBR de 13 para dez pontos. Um pódio com três campeões mundiais, bem adequado para uma prova que entra para a história da Fórmula 1.

Felipe Massa e Bruno Senna chegaram na zona de pontuação. O brasileiro da Ferrari completou a prova em sétimo, logo à frente do piloto da Williams, o oitavo. Com a quarta colocação, Vettel alcançou os 255 pontos, enquanto Alonso chega aos 245. Restam dois rounds na luta para ver quem será consagrado tricampeão mundial: o GP dos Estados Unidos, no dia 18 de novembro, e o GP do Brasil, que fecha a temporada uma semana depois.

 

Primeira volta emocionante

As atenções na largada estavam voltadas não só para as primeiras posições, mas para os boxes, de onde largava Vettel. No pelotão da frente, Hamilton manteve a ponta, enquanto Webber largou muito mal e foi superado por Raikkonen e Maldonado. Após partir em sexto, Alonso superou Button e partiu para o ataque ao australiano da RBR. Era muito importante se livrar rapidamente do companheiro de equipe de seu rival na briga pelo título. E a ultrapassagem veio logo na primeira volta, na curva 11. Massa ganhou a posição de Nico Rosberg e assumiu o sétimo lugar.

Enquanto isso, no pelotão intermediário, Bruno foi acertado por Nico Hulkenberg. Após o alemão da Force India se enroscar com seu companheiro Paul di Resta e Kamui Kobayashi (Sauber), acabou sobrando para o brasileiro, que caiu para as últimas posições. Hulk deixou a prova. Chamado de “maluco da primeira volta”, Romain Grosjean provou do próprio veneno. Foi tocado por Rosberg e teve um pneu furado.

Tanta confusão foi melhor para Vettel. Partindo do pit lane, o alemão fechou a volta de abertura em 20º, à frente de Hulkenberg, Di Resta, Grosjean e De la Rosa. Mas não passou ileso. Tocou na Williams de Bruno ao tentar ganhar mais uma posição e danificou a asa dianteira de sua RBR. Apesar do problema, a equipe decidiu manter o piloto na pista.

E Vettel continuou sua escalada. Superou Bruno na terceira volta, Narain Karthikeyan, Charles Pic, Timo Glock e Vitaly Petrov nas passagens seguintes, para chegar a 15º. O brasileiro da Williams também aproveitava o caminho aberto pelo alemão e subia na classificação.

Rosberg levanta voo

Na nona volta, um acidente impressionante. A HRT de Karthikeyan teve problemas e ficou ainda mais lenta do que o normal. Rosberg não percebeu e, literalmene, atropelou o carro do indiano. O alemão levantou voo com sua Mercedes e atingiu com força a barreira de proteção. Safety car na pista.

 Vettel acerta placa e leva susto

Com isso, Vettel subiu para a 11ª posição. A entrada do carro de segurança juntou o grid novamente. Melhor para o alemão. Ele aproveitou o safety car para ir para os boxes e trocar a asa dianteira danificada e voltou para o fim do pelotão, em 21º. Antes do safety car sair, o alemão levou mais um susto: foi fechado por Ricciardo enquanto os pilotos aqueciam os pneus e para não atingir a STR, atropelou uma placa do lado da pista.

Na relargada, na 15ª volta, Hamilton voltou a manter a liderança com tranquilidade, seguido por Raikkonen e Maldonado. Já Alonso precisou segurar a pressão de Webber. Button, Massa, Pérez, Kobayashi e Schumi completaram os dez primeiros.

Buscando recuperar, mais uma vez, o terreno perdido, Vettel buscou uma ultrapassagem dupla: superar Grosjean enquanto este passava Pic. O piloto da Marussia ficou para trás, enquanto o da Lotus fez jogo duro. Insistente, Vettel até usou uma parte de fora da pista para superar o francês. Grosjean reclamou da manobra do alemão no rádio e a RBR, por precaução, pediu para o piloto devolver a posição. Porém, três curvas depois, Vettel recuperou a colocação.

Líder Hamilton abandona

E como se não bastasse todas as emoções da prova, mais uma surpresa. O passeio de Hamilton na ponta foi interrompido por um problema mecânico na McLaren na 21ª volta. O inglês abandonou a corrida e o finlandês Raikkonen herdou a primeira posição. Melhor para Alonso, que naquele momento, em terceiro, assumia a liderança do campeonato. E o espanhol foi mais além: ultrapassou Maldonado e assumiu o segundo lugar.

Com a queda do rendimento da Williams, o venezuelano recebeu pressão também de Webber. O australiano tentou uma difícil manobra por fora. Teve a porta fechada, foi tocado e rodou, caindo para sétimo. Logo depois, Maldonado perdeu a terceira colocação para Button. Já Felipe chegou a ficar em quinto, mas perdeu lugar para Pérez e foi para sexto.

Na 24ª volta, Vettel entrou na zona de pontuação, ao passar Ricciardo e assumir o 10º lugar. Duas passagens depois, Kobayashi abriu a rodada de pit stops.

Webber força e Massa roda

Não satisfeito em se precipitar ao tentar dar o bote em Maldonado, Webber tentou manobra muito semelhante sobre Massa e saiu da pista. Quando voltou, lançou o carro para cima do brasileiro, que se assustou e rodou. Após o incidente, Massa resolveu antecipar a parada nos boxes, voltando em 15º.

Vettel passou Schumacher e, com alguns pilotos indo para os boxes, subiu para sétimo. Na 29ª volta, Alonso foi para os boxes e voltou em sétimo. Vettel, a essa altura, era o quinto colocado, logo atrás do parceiro Webber. A expectativa era se a RBR faria o tão contestado jogo de equipe. Após pedir para o australiano não forçar caso fosse atacado pelo alemão, a escuderia mandou o piloto para os boxes, acabando com as preocupações.

Líder da prova, Raikkonen parou nos boxes duas passagens depois e manteve a primeira posição. E o segundo, quem era? Sebastian Vettel, que herdou também as posições Button e Maldonado, que foram para os pits.

Aí a dúvida passou a ser a seguinte: a 20 voltas do fim da prova, Vettel, que havia parado durante a entrada do safety car, faria mais um pit stop? Era preciso administrar o desgaste dos pneus macios. Bruno Senna adiou ao máximo a ida aos boxes e chegou a aparecer em quinto. Após a parada, voltou em 13º, logo atrás do compatriota Felipe Massa.

Com pneus mais desgastados, Vettel começou a ver a aproximação de seu rival Alonso. Ciente da queda de rendimento, a RBR chamou o alemão para o segundo pit stop na 38ª volta. Após um pequeno problema na troca do pneu traseiro direito, o alemão retornou à pista com compostos macios em quarto, a 24s do líder Raikkonen e atrás também de Alonso e Button.

E foi então que um novo safety car juntou outra vez o pelotão, ajudando novamente Vettel. Foi em razão de uma batida envolvendo Pérez, Grosjean e Webber. O mexicano duelava com Di Resta, quando saiu da pista e retornou tocando na Lotus do francês.

 

Vettel passa Button e sobe ao pódio

As posições se mantiveram na nova largada. Mas a monotonia acabou rapidamente. Vettel partiu para cima de Button em busca do terceiro lugar, enquanto Alonso caçava Raikkonen na briga pela vitória. Após um lindo duelo, o alemão da RBR arriscou tudo, passou o britânico e arranjou um lugar no pódio, algo difícil de imaginar antes da corrida. Raikkonen administrou a vantagem sobre Alonso e garantiu sua primeira vitória no retorno a Fórmula 1.

Fonte: g1

Tópico: Raikkonen volta a vencer na Fórmula Um

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!